Lista | A viagem no tempo no cinema

Fizemos uma lista com alguns filmes incríveis que abordam o tema da viagem no tempo

De Volta para o Futuro

Inventamos uma maneira de recomendar vários filmaços para vocês. Com certo pioneirismo de “De Volta Para o Futuro” (1985), a viagem no tempo é tema recorrente na telona e já foi abordada de tantas formas diferentes que resolvemos fazer um compilado desse famoso clichê.

A viagem no tempo é um sonho humano que viralizou no cinema. Nossa lista poderia ser bem extensa, passando por filmes de ação, aventura, dramas, romances, comédias, comédias românticas e, é claro, filmes cult e de ficção científica. Clássicos como “De Volta Para o Futuro” e “Exterminador do Futuro” (1984) popularizaram o clichê. Mais recentemente, a franquia de X-Men foi salva por essa fórmula em “Dias de Um Futuro Esquecido” (2014). As viagens também aparecem em comédias escrachadas como “A Ressaca” (2010) e até no fenômeno teen “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban” (2004). Isso para não mencionar os sci-fi tradicionais, como “Interestelar”.

Estando provado que tem muito conteúdo bom em torno do tema, não podíamos deixar tanto material assim passar em branco. Então, fora todos esses filmes já citados, temos mais uma lista de recomendações para você! Confira a seguir:

1. Efeito Borboleta

O longa de 2004, estrelado por Ashton Kutcher (foto) e Amy Smart, é uma produção inteligente que prende o telespectador – afinal, se você não prestar atenção, pode acabar não entendendo muita coisa. O enredo gira em torno do personagem de Kutcher, Evan Treborn, um universitário de 20 anos que descobre que pode viajar no tempo recordando momentos de sua vida. Por diversas vezes, o jovem teve parte de sua memória ocultada em situações de estresse durante sua vida, e por isso passou a escrever um diário com suas lembranças, exercício que proporciona a volta no tempo para esses momentos obscuros. No entanto, cada viagem proporciona alterações na realidade de Evan, que justificam o nome do filme (um Efeito Borboleta é o resultado que uma ação mínima pode provocar no futuro). Ao explorar a Teoria do Caos de forma brilhante, “Efeito Borboleta” vai te deixar impressionado com as consequências das ações de seus personagens.

2. Antes que Eu Vá

“Antes que Eu Vá” (2017) explora a fórmula de uma outra forma, que remete à “Feitiço do Tempo”, de 1993. Estrelando Zoey Deutch como Samantha Kingston, o filme aborda a problemática do bullying de uma forma diferente, focando no causador, não na vítima. Zoey, uma garota popular, vive anos dourados no colégio, até que a morte de uma colega de escola muda tudo. De repente, a menina passa a acordar sempre naquela mesma manhã do dia do acidente, vivendo e revivendo sempre as mesmas coisas. É assim que começa a jornada de redenção da protagonista, que dá contornos dramáticos a uma problemática inicialmente previsível. Desafiamos você a assistir ao filme e comentar aqui se conseguiria agir como Zoey!

3. Quando nos Conhecemos

O longa de 2018 traz mais clichês que a viagem no tempo. Mas mesmo que não seja um filme imperdível, é capaz de entreter em qualquer tarde de domingo, sobretudo os fãs de comédia romântica. Nesse filme, a viagem do tempo é abordada com o protagonista Noah (Adam DeVine, na foto), que retorna sempre à mesma data através de uma antiga máquina de fotos para tentar consertar o “dia que sua vida amorosa deu errado”. O tal dia é marcado pelo encontro com Avery (Alexandra Daddario, também na foto), que seria perfeito não fosse o rapaz colocado na famosa friend zone. É essa a situação que motiva o filme e nos leva a um final inesperado. Mesmo repleto de fórmulas batidas, o toque de imprevisibilidade de “Quando Nos Conhecemos” é sua maior qualidade.

4. Questão de Tempo

Um pouco mais clássico, “Questão de Tempo” (2013) com a história de Tim (Domhnall Gleeson, na foto), um rapaz de 21 anos que descobre a habilidade dos homens de sua família: poder reviver qualquer momento de sua vida. Ele passa a usar isso a seu favor, de uma forma que faz Mary (Rachel McAdams, em destaque na foto) se apaixonar por ele.  Porém, com muito mais a seu favor do que somente o romance, “Questão de Tempo” também explora a relação de Tim com seu pai e as consequências e responsabilidades do seu poder (ao estilo do “tio Ben”). É só através de muito sofrimento que o jovem descobre que não pode simplesmente alterar o passado ao seu bel prazer. Profundo e emocionante, o filme é imperdível!

5. A Casa do Lago

Esse, sim, explora o romance como nenhum outro dessa lista, e explora nosso clichê da viagem do tempo de um modo diferente de todos os outros. Protagonizado por Keanu Reeves e Sandra Bullock (ambos na foto), descobrimos em “A Casa do Lago” um romance separado por dois anos, mas unidos por uma casa. A viagem no tempo é explorada no contato entre o casal: são cartas e mais cartas enviadas através da caixa de correspondência da casa que Alex (Reeves) projetou e Kate (Bullock) morou. Assista o filme para saber como é construído um amor que transcende o tempo.

6. O Homem do Futuro

“O Homem do Futuro” deve ser o filme da lista que mais traz a essência de “De Volta Para o Futuro”. Uma divertida comédia romântica brasileira com moldes de ficção científica, embalada por uma ótima trilha sonora, o filme gira em torno de Zero (Wagner Moura, em destaque na foto), um cientista brilhante e excêntrico que acidentalmente cria uma máquina do tempo. De repente, ele acaba regressando exatamente à noite traumática em que Helena (Aline Moraes, também na foto) o dispensou. Dividido entre ajeitar seu futuro e não desencadear eventos inesperados pela existência de outro “Zero” no mesmo espaço/tempo, o protagonista segue por uma jornada cômica e interessante de volta ao presente.

7. Click

Drama de sucesso, recheado de uma comédia inteligente e reflexiva, “Click” (2006) aborda a viagem no tempo de uma maneira inusitada. No filme, o protagonista Michael Newman (Adam Sandler, em destaque) adquire, sem saber, um controle universal capaz de comandar sua vida como em um filme – pausar, avançar, pular, silenciar etc. Quando descobre os poderes do item, ele passa a usar o objeto indiscriminadamente. Arquiteto devoto ao trabalho e sem tempo para a esposa Donna (Kate Beckinsale), para os dois filhos e seus próprios pais, Newman utiliza o controle para ter sucesso profissional, mas se esquece das partes mais importantes da vida. O drama fica por conta da capacidade de identificação do espectador com o protagonista, e por toda discussão filosófica sobre a vida e suas prioridades.

Veja também:

Comente Aqui!