Lista | 6 filmes para assistir no Dia das Mães

Fizemos uma lista de filmes para você assistir coladinho com sua mãe

Minha Mae é Uma Peça, com Paulo Gustavo

“Na volta a gente compra”, “Você não é todo mundo”, “Pede pro seu pai”… Quem nunca ouviu alguma dessas frases? Já diriam alguns que “dia das mães é todo dia”, mas hoje em especial reservamos um momento para homenagear essas nossas guerreiras de poderes sobre-humanos.

E o que melhor para você celebrar esse dia do que assistir a um filme juntinho com sua mãe no sofá? Pensando nisso, nós preparamos uma lista com algumas produções perfeitas para assistir em família. Afinal, seja como for sua mãe – superprotetora, “faz tudo”, aquela mãe de coração, ou uma mais exigente –, sabemos que a alegria delas faz a nossa! Então prepare a pipoca, chame sua mãe e confira nossa lista abaixo:

1. Minha Mãe é uma Peça

Se você gosta de comédia, este filme vai te garantir boas risadas. Sucesso no teatro, “Minha Mãe é Uma Peça” ganhou sua adaptação para o cinema e foi o filme nacional mais assistido no Brasil em 2013. Paulo Gustavo interpreta Dona Hermínia, uma mulher de meia idade e divorciada do marido (Herson Capri). Mãe superprotetora, não consegue lidar com o fato de que seus filhos, Marcelina (Marina Xavier) e Juliano (Rodrigo Pandolfo), já estão grandinhos. Após descobrir que seus filhos a consideram uma chata, ela resolve sair de casa sem deixar nenhum aviso e ir visitar sua querida tia Zélia (Suely Franco) para desabafar e relembrar bons momentos. Essa premissa é marcada pelo talento nato de Paulo Gustavo para a comédia, que sozinho consegue conduzir sua história do humor ao drama.

2. Extraordinário

“Extraordinário” é baseado no romance com o mesmo título de Raquel Jaramillo, sob o pseudônimo R. J. Palacio. A história segue a vida de Auggie Pullman (Jacob Tremblay, à esquerda na foto), um menino de 10 anos que sofre da síndrome de Treacher Collins – uma doença caracterizada por deformidades crânio-faciais. Após anos aprendendo em casa com a mãe (Julia Roberts, à direita), chegou a hora de Auggie ir para a escola como qualquer outra criança, onde precisará lidar com a sensação de estar sendo observado constantemente. Enquanto aborda pontos de vista diferentes dentro da mesma história, o filme também discute assuntos polêmicos, como “bullying” e as dificuldades de uma família que precisa lidar com a doença de um de seus membros. Mas em sua maior parte, a história enaltece a família, a amizade, o respeito às diferenças e a gentileza. Ao provocar boas reflexões, sentimentos, análises e perspectivas, “Extraordinário” é um daqueles raros filmes que nos fazem rir, chorar e se emocionar.

3. A Troca

Baseado em um caso real ocorrido na Los Angeles de 1928, o filme “A Troca” conta a história de Christine Collins (Angelina Jolie, em destaque na foto), uma mãe solteira que sai para trabalhar e deixa seu filho Walter (Gattlin Griffith), de 9 anos, em casa. Ao retornar, Christine descobre que seu filho desapareceu e dá início a uma busca exaustiva para encontrá-lo. Quando, meses depois, recebe da Polícia uma criança que não é seu filho, Christine precisa confrontar as autoridades da cidade, que a têm por doente mental e uma mãe incapaz. Apesar da história triste, o filme é intenso e emocionante, e explora temas importantes como a impotência feminina, a corrupção, o abuso infantil e as repercussões da violência.

4. Uma Prova de Amor

Esse é um daqueles filmes para se ver com toalhinha do lado, então… Preparados para chorar? Na história, Sara (Cameron Diaz, em destaque na foto) e Brian Fitzgerald (Jason Patric) são os pais de Kate (Sofia Vassilieva), uma menina diagnosticada com leucemia. Dispostos a salvar a filha, os pais decidem conceber um filho de proveta para servir como uma “portadora de órgãos”, e assim nasce Anna (Abigail Breslin). Porém, quando é obrigada pelos pais a doar o rim para Kate – e assim ter uma vida limitada –, a menina processa os pais para obter emancipação médica e os direitos sobre seu próprio corpo. O filme, baseado no romance “A Guardiã da Minha Irmã”, de Jodi Picoult, retrata as dores e os sentimentos de uma menina que sofre com a leucemia, mas também mostra como o amor de uma mãe é capaz de dar tudo por sua filha. Além disso, a história nos traz a mensagem de que podemos superar as dores e que devemos celebrar a vida.

5. Valente

O filme produzido pela Pixar Animation Studios é a primeira animação do estúdio protagonizada por uma mulher. Merida é uma jovem princesa que foi criada pela mãe para ser sua sucessora. Mas isso não é bem o que a princesa de cabelos rebeldes deseja ser. Logo sua revolta a acaba lançando contra a própria mãe; e ao encontrar a caverna de uma bruxa, Merida compra um feitiço para que sua mãe mude. O efeito, porém, não ocorre como esperado, e agora a princesa precisará ajudar sua família e reverter o erro cometido. Divertido e interessante, “Valente” traz a todo momento a luta de Merida pela liberdade, demonstrada em suas cavalgadas e, de um modo mais descontráido, desenvolve bem a relação mãe-filha e a presença da família.

6. Sexta-feira Muito Louca

O filme é uma refilmagem de “Se eu Fosse Minha Mãe” (Freaky friday, de Gary Nelson, 1976).  Apesar de ter sido lançado em 2004, o longa ainda agrada boa parte do público por proporcionar muitas risadas. Na história, Anna Coleman (Lindsay Lohan, à esquerda na foto) é uma adolescente que vive se desentendendo com a mãe, Tess (Jamie Lee Curtis). Alguns anos após a morte do marido, a relação de mãe e filha se tornou um pouco mais complicada, principalmente depois que Tess descobriu um novo amor. Porém, uma maldição acaba fazendo as duas trocarem de corpo, até que ambas consigam se compreender e que o amor verdadeiro retorne. Tudo isso, enquanto discute toda a química de uma relação familiar e de maternidade, é embalado por situações que vão te fazer rir muito, em um roteiro que evidencia a diferença entre as gerações da maneira mais espalhafatosa possível.

Veja também:

 

Comente Aqui!