Dicas | 7 séries “estrangeiras” para assistir na Netflix

Fizemos uma lista com as melhores séries de língua não-inglesa para você assistir na Netflix

Série The Rain da Netflix

A lista de hoje contém sete recomendações de séries estrangeiras para você. E por “estrangeiras” queremos dizer séries de língua não inglesa – seja norte americana ou britânica –, não produzidas na língua “nativa” da Netflix.

A empresa vem investindo pesado nesse tipo de produção. Após os sucessos estratosféricos da espanhola “La Casa de Papel” e da alemã “Dark” (que recomendamos fortemente), era de se esperar que o serviço de streaming apostasse cada vez mais nessa diversificação do catálogo de séries. E quem ganha com isso somos nós!

Além de roubos a banco e ficção científica, há um universo muito vasto de gêneros e temas a serem explorados. As séries abaixo vão do drama à ação policial, e têm recebido excelentes críticas internacionalmente. Então confira nossa lista para conhecer ainda mais desse mundo fora da língua inglesa – e, é claro, comente aqui se você tiver uma indicação de série que não esteja listada a seguir!

1. The Rain

“The Rain” é uma série dinamarquesa que traz um cenário pós apocalíptico (talvez só nisso já tenha conquistado alguns espectadores). O contexto é decorrente de uma chuva que transforma a população em uma espécie de zumbis, e é nessa premissa que acompanhamos uma família escondida em um bunker após um salto temporal de seis anos. Os sobreviventes se aventuram em busca de segurança e de seu pai perdido no apocalipse, mas logo encontram outros jovens sobreviventes. Juntos, o grupo descobrirá a verdadeira natureza dessa catástrofe e as surpresas desse novo mundo.

Você pode assistir ao trailer de “The Rain” aqui.

2. 3%

A representante brasileira nessa lista é “3%”, que embora tenha sido uma das séries mais maratonadas nos EUA em 2017, acabou não ganhando o destaque merecido no cenário nacional. Com uma forte crítica à desigualdade social e uma ilustração da meritocracia, a distopia se desenvolve em uma competição entre jovens para saber quem fará parte do seleto grupo dos chamados 3%, jovens que irão viver no paraíso do Maralto – onde mora a elite da população.

Assista ao trailer da nova temporada de “3%” aqui!

3. As Telefonistas

Nesta premiada série espanhola, ambientada no final da década de 1920, quatro mulheres de diferentes locais da Espanha se reúnem para trabalhar como telefonistas em uma empresa em Madri. A partir daí, passamos a acompanhar sua adaptação na nova vida: as novas amizades, as descobertas, as traições e frustrações. A série também é incrementada pela luta por igualdade e por uma interessante jornada de crescimento, que transmitem uma mensagem que continua atual.

4. Merlí

A produção espanhola explora a reaproximação do personagem Merlí (Francesc Orella) e seu filho Bruno (David Solans), após sua separação. Essa atitude, porém, acontece no ambiente escolar – o pai é professor de filosofia, o filho é um aluno. A história cresce em duas direções: enquanto Bruno se descobre em relação a sua sexualidade, o genioso Merlí acaba se desentendendo com os outros professores e fazendo diversas inimizades. A série chama atenção não só pelo drama principal, muito bem construído, mas também pela pegada filosófica, que foge do didatismo em lições nada convencionais.

5. Suburra: Sangue em Roma

Apostando em uma trinca de sucesso – fé, política e máfia – “Suburra: Sangue em Roma” é uma série italiana que tem tudo para te conquistar. Com um ritmo constante em que nada apresentado pode ser descartado, a produção imerge na cidade de Roma em uma trilha de sangue deixada pelo interesse da máfia em dois terrenos que serão vendidos pelo Vaticano. Inteligente, a série reconstrói uma história que se repete desde a Antiguidade até os dias atuais.

6. Rita

Essa produção dinamarquesa retrata uma cotidiana vida de uma professora, Rita (Mille Dinesen) – bom, nem tão “cotidiana” assim. Ao mesmo tempo em que promove um relacionamento sensacional com jovens e crianças, Rita tem problemas em interagir com adultos, o que a leva a ter dificuldades em lidar com os pais dos alunos. Somado a essa dificuldade está seu jeito de pensar nada ortodoxo, que vai de encontro ao sistema escolar e ao politicamente correto. Para completar o enredo, a professora também precisa criar três filhos sozinha. Com tanto nas costas de Rita, a série traz um drama reflexivo, repleto de uma comédia de muito bom gosto.

7. Fauda

Reunindo ingredientes de diferentes gêneros, este thriller israelense de primeira linha mistura a ação com o intelectual. Tendo como plano de fundo a rivalidade entre palestinos e israelenses, a trama segue a história de Doron (Lior Raz), resgatado da aposentadoria pelo serviço de inteligência israelita para capturar Abu-Ahmed (Hisham Suliman) – um integrante do Hamas que forjou sua própria morte. Extremamente visceral, “Fauda” surpreende pelo seu realismo, explorando os dilemas do terrível conflito histórico e aprofundando personagens de ambos os lados da guerra.

VEJA TAMBÉM:

Comente Aqui!